Tina Turner, cantora, aos 83 anos, está fazendo um balanço da sua vida no livro A Plenitude do ser: o guia para uma vida transformada, disponibilizado ainda este mês para os admiradores da artista. Em entrevista à Quem, nos altos e baixos de sua vida, a famosa confessou que tentou se matar.

“Tentei me suicidar”

“Quando estava com quase 30 anos, estava me sentindo deprimida e desapontada com a minha vida. Por fim, perdi completamente a esperança a ponto de não conseguir pensar com clareza, e tentei me suicidar tomando um frasco inteiro de pílulas para dormir. Felizmente, algumas pessoas me encontraram e me levaram para o hospital, onde fui reanimada. De início, quando despertei no meu leito hospitalar e percebi que ainda estava viva, fiquei decepcionada. Naquela época, achava que a morte era a única escapatória das minhas condições dolorosas”, desabafou.

Publicidade

 

Em outro trecho da entrevista, a cantora que marcou o rock internacional nos anos 70 e 80, contou que se apegou na meditação e práticas budistas. “Acho que todos querem ser felizes. É um desejo humano básico. E acho que muitas pessoas apreciam o fato de que os ensinamentos budistas, que são baseados na lógica e na causa e efeito, oferecem um caminho para esse fim. Emocionalmente, quando as pessoas veem outros fazendo mudanças positivas na sua vida, elas ficam inspiradas a fazer o mesmo. No meu caso, quando vi o efeito positivo que a sabedoria oriental estava exercendo nas pessoas à minha volta, eu também quis aprender mais. Os princípios que compartilho em A Plenitude do Ser são universais e podem ajudar a todos, independentemente da sua origem religiosa ou cultural, a melhorar sua vida e sentir mais paz, compaixão e alegria”, contou.

Fonte: UOL
Foto: Reuters