Os deputados petistas Gleisi Hoffmann (PR) e Paulo Teixeira (SP) enviaram uma notícia de crime à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Jair Bolsonaro, em razão do episódio em que Bolsonaro perguntou a um apoiador negro se ele pesava “mais de 7 arrobas”. O partido alega que Bolsonaro praticou ato discriminatório.

A medida de arrobas é geralmente usada para tratar do peso de animais. Em 2018, Bolsonaro foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República por crime de racismo por uma frase semelhante (veja mais abaixo). Em setembro do mesmo ano, a denúncia foi rejeitada por 3 votos a 2 pela Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) e o caso foi encerrado.

“No caso presente, como já suscitado, o noticiado [Bolsonaro] utilizou, mais uma vez, a unidade de medida ‘arroba’ — usualmente presente no comércio de boi de corte, no matadouro ou nos frigoríficos — para se referir a uma pessoa negra, ciente de que a mesma conduta já foi identificada como discriminatória por essa eminente Procuradoria-Geral da República e por ministros do Supremo Tribunal Federal”, escreveram os deputados petistas.

 

Conversa com apoiador

O apoiador é Serjão Oliveira (PTB), presidente da Câmara Municipal de Holambra, em São Paulo. Ele aparece em um vídeo, postado nesta quinta (12) em um canal bolsonarista, conversando com o presidente. Em determinado momento, Bolsonaro faz a pergunta.

“Tu pesa quanto? Mais de sete arrobas, né? (risos)”, disse o presidente.

Em seguida, Bolsonaro fez referência ao processo de 2018: “Sabia que já eu fui processado por isso? Chamei um cara de oito arrobas”.

 

Palestra em 2018

Bolsonaro foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) em abril de 2018 em razão de falas consideradas racistas numa palestra que fez em 2017 no Clube Hebraica do Rio de Janeiro.

Na ocasião, disse que, se eleito presidente, não destinará recursos para ONGs e que não vai ter “um centímetro demarcado” para reservas indígenas ou quilombolas.

E acrescentou: “Onde tem uma terra indígena, tem uma riqueza embaixo dela. Temos que mudar isso daí. […] Eu fui num quilombo, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gastado com eles”

O julgamento na Primeira Turma do STF foi em setembro de 2018. O voto decisivo para arquivar a denúncia da PGR foi do ministro Alexandre de Moraes –para quem as declarações de Bolsonaro, embora “grosseiras” e “vulgares”, não extrapolaram para um discurso de ódio.

 

Fonte: g1 Política
Foto: Reprodução/redes sociais