A primeira temporada do Marlon, no Paysandu, foi em 2020. O jogador chegou logo após a saída de Vinicius Leite, que era o melhor jogador do time. Ele chegou como um desconhecido. O atacante fez um gol logo na primeira partida. O segundo jogo foi ainda melhor, o ponta marcou dois contra o Ferroviário. Isso deu esperanças para a torcida e deve ter colocado uma expectativa muito grande sobre o atleta.

Boa fase

Em termos de números, essa já é a melhor temporada do jogador. Ele marcou cinco gols e deu seis assistências em 18 partidas. O ponta fez cinco gols na primeira temporada e quatro na segunda. No jogo contra o Botafogo-SP, pela quinta rodada do Brasileiro Série C, o camisa 10 saiu aplaudido de campo. O pernambucano acredita que esse é melhor momento com a camisa bicolor.

– Estou em um bom momento. Eu passei por momentos bons e ruins, não tem como negar. O importante é não baixar a cabeça e seguir trabalhando, assim como sempre fiz. Não sou só eu, a equipe inteira está em um bom momento.

Marlon, atacante do Paysandu — Foto: John Wesley/Ascom Paysandu

Essa boa relação com a torcida foi sendo construída aos poucos, Marlon já foi muito criticado por boa parte dos bicolores. Muitos já até pediram para ele ir embora. O Paysandu fez algo incomum, deu um contrato longo para o jogador, esse foi outro fator que colocou pressão nele. O camisa 10 comenta sobre esses altos e baixos.

– Sei do meu trabalho e potencial. Trabalho sério todos os dias para dar o meu melhor para o Paysandu. Eu sempre trabalhei sério e isso não vai mudar.

Antes da partida contra o Botafogo-SP, Marlon era o jogador que mais criava chances para o Papão(18). Esse número deve ter subido, o camisa 10 deu mais um assistência no jogo contra o time paulista. Além do passe, o ponta fez um golaço. Ele já era importante, mas está se provando essencial para a equipe de Márcio Fernandes.

Marlon ainda tem a vantagem de jogar bem nas duas pontas. No último jogo, ele deu uma assistência pela direita e fez o gol pela esquerda. Além do momento ofensivo, o ponta ajuda na recomposição defensiva. O bom momento da equipe potencializa o jogo dele.

– Se o coletivo estiver bem, o individual vai aparecer. Tô muito feliz em ajudar com gols e assistências. Acredito que só vá melhorar.

Amizade com José Aldo

Marlon e José Aldo — Foto: John Wesley/Ascom Paysandu

Sobre o grupo, o Paysandu conseguiu achar dois jovens valores. Além do potencial, Marlon e José Aldo tem outro fator em comum, eles são do mesmo estado. O atacante fala que eles se entendem muito bem.

Fonte: G1
Foto: John Wesley