Na tarde desta segunda-feira (19), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SEDEC) apresentou o projeto Casa do Açaí Ananin, uma iniciativa inédita no município que dará voz aos comerciantes de açaí.

Comerciantes como Sérgio Rodrigues que sai, todos os dias, às 2h da madrugada  para buscar o fruto no fornecedor e termina às 20h após a lavagem do ponto onde garante o sustento de sua família, no bairro Júlia Seffer, em Ananindeua. “O açaí é minha vida. Há quase 30 anos ela está no meu dia-a-dia. Criei os meus filhos com a produção de açaí e até hoje estou na batalha. Hoje os meus filhos estão formados com o dinheiro que consegui através do açaí”, relembra.

Andrea Rodrigues, filha do seu Sérgio, conta orgulhosa que há 26 anos trabalha com pai. Ela afirma que o amor pelo açaí reforça o laço familiar e atravessa gerações. “Estamos na luta e trabalhando. Temos um tratamento especial do açaí que meu avô passou para o meu pai e agora ele passa pra gente. Meu pai nos criou, formou e tudo o que temos hoje é por causa do açaí”, relatou a assistente social, que também trabalha como batedora de açaí.

Andréa e Sérgio participaram do Fórum Municipal de Economia, realizado pela Sedec, onde também foi lançado o projeto que funcionará como centro de referência para o batedor de açaí artesanal. Através de eventos, cursos e oficinas de capacitação os batedores serão capacitados e terão a oportunidade de comercializar um produto de qualidade atendendo todas as normas vigentes. A expectativa é de que a Casa do Açaí Ananin seja inaugurada até o final deste ano. Durante

“Já temos o espaço que será reformado e adaptado de acordo com as leis da Anvisa para ser a casa do nosso produtor de açaí artesanal de Ananindeua. O Fórum foi pensado para debatermos juntos com os batedores de açaí, o futuro deste ramo que é de extrema importância para o varejo local”, explicou Ivelane Neves, titular da Sedec.

“Nesse espaço além de ensinar a prática e a teoria, também será ensinado o que fazer com os resíduos do Açaí, como os caroços. A gente pretende tirar os resíduos do meio da rua, das calçadas e da frente dos empreendimentos. Então, teremos este espaço que disponibilizará de equipamento que vai filtrar em quatro partes o resíduo do caroço. Cada fase será orientada por profissional experiente, e será destinado para uso laboratorial, construção civil, forros de carro, que poderá gerar mais emprego e renda para a população de Ananindeua”, ressaltou o prefeito de Ananindeua, Doutor Daniel.

Durante a solenidade também foi lançado o selo de qualidade do açaí de Ananindeua. Com a implantação do selo “Açaí Bom Que Só” os produtos passam a ter maior credibilidade nas prateleiras, permitindo uma melhor comercialização. A certificação irá promover a implantação de novas unidades de agroindústrias de produtos de origem vegetal e animal, contribuindo para geração de emprego e renda no comércio local.

Fonte: O Liberal
Foto: Divulgação