Sem pontuação suficiente no Campeonato Brasileiro para se classificar à Copa Libertadores de 2021, o Corinthians jogará mais uma vez a Copa Sul-Americana, como recentemente fez em 2019, quando foi semifinalista, e 2017, quando caiu nas oitavas de final.

Enquanto o torcedor tenta se conformar com o “plano B”, confirmado após os empates do Timão com o Vasco e do Santos com o Fluminense, neste domingo, o ge traz um raio-x da competição, que tem início em 17 de março.

O Corinthians e os outros brasileiros, porém, entram apenas na fase de grupos, uma novidade na edição desta temporada. A estreia acontecerá, provavelmente, na semana de 21 de abril.

 

Veja abaixo algumas informações importantes sobre a competição:

  • Fases

Em sua 20ª edição, a Sul-Americana chega com uma novidade. Diferentemente dos anos anteriores, quando era sempre disputada em mata-mata, agora o torneio tem três fases. No preliminar, clubes do mesmo país (exceto Brasil e Argentina) realizam duelos e geram 16 classificados.

A eles se juntam quatro times eliminados na terceira fase da Libertadores, além dos seis representantes da Argentina e dos seis representantes do Brasil, entre eles o Corinthians.

Os 32 times são divididos em oito grupos com quatro equipes cada. Os duelos de todos contra todos em ida e volta serão realizados entre 21 de abril e 26 de maio. Os oito líderes se classificam para a fase de oitavas de final e enfrentam os oito terceiros colocados da fase de grupos da Libertadores.

Em 2019, o Corinthians foi até a semifinal do torneio — Foto: Bruno Cassucci

  • Premiação

A Conmebol injetará mais dinheiro na edição deste ano. Em janeiro, a entidade anunciou um aumento de US$ 11,8 milhões (cerca de R$ 64 milhões) na premiação total. O valor total a ser distribuído para todos os times agora é US$ 59 milhões (R$ 319 milhões).

Os valores, claro, são mais baixos do que os que são pagos na Libertadores.

Se entrasse na segunda fase da pré-Libertadores e caísse na fase de grupos, o Timão somaria US$ 4.000.050,00 (R$ 21,7 milhões) em premiações. Seriam US$ 500 mil por jogar a fase 2, US$ 550 mil por jogar a fase 3 e mais US$ 1 milhão por jogo como mandante na fase de grupos (três).

Na Sul-Americana, se o Timão não avançar ao mata-mata, receberá o total de US$ 1,2 milhões (R$ 6,5 milhões), sendo US$ 300 mil por cada jogo como mandante da fase de grupos (três). Caso seja eliminado como segundo do grupo, ganha uma bonificação extra de US$ 120 mil.

Se for campeão, o Timão pode levar US$ 6,8 milhões no total (cerca de R$ 36 milhões).

  • Primeira fase: US$ 225 mil por jogo como mandante.
  • Fase de grupos: US$ 300 mil por jogo como mandante
  • Oito eliminados na primeira fase: US$ 120 mil
  • Oitavas de final: US$ 500 mil
  • Quartas de final: US$ 600 mil
  • Semifinal: US$ 800 mil
  • Vice-campeão: US$ 2 milhões
  • Campeão: US$ 4 milhões

A final, em jogo único, será dia 6 de novembro, ainda sem local definido.

 

  • Título inédito

O Corinthians nunca venceu a Sul-Americana. A vez que chegou mais próximo disso foi em 2019, quando caiu na semifinal para o Independiente del Valle, do Equador.

Até hoje, apenas quatro times brasileiros já venceram o torneio: Internacional (2008), São Paulo (2012), Chapecoense (2016) e Athletico-PR (2018). O atual campeão é o Defensa y Justicia, da Argentina.

Fonte: G1
Foto: Renato Gizzi/Estadão Conteúdo