Carlão chegou ao Paysandu na semana passada e, apesar de regularizado a tempo, não foi relacionado para o clássico de sábado. O zagueiro de 34 anos ainda busca melhor condicionamento físico, já que não atua oficialmente desde antes da paralisação do futebol ocasionada pela pandemia de Covid-19, mas assistiu ao duelo contra o Remo.

– Meu último jogo oficial foi em março. Nesse tempo eu venho me preparando fisicamente, creio que não estou muito abaixo. Quanto à impressão do clássico, foi boa. Já vinha com uma impressão boa dos treinamentos. Estou feliz com o que eu vi no dia a dia e com o que vi no jogo também – contou Carlão durante entrevista coletiva nesta segunda-feira.

Aliás, com a derrota bicolor no Re-Pa, o zagueiro já entra na equipe sob certa pressão. Além do mau resultado diante do maior rival, o Paysandu permaneceu fora da zona de classificação do Grupo A do Brasileiro. Nada que assuste o experiente defensor.

– A pressão sempre vai existir, ainda mais em um clube como o Paysandu. Mas vale ressaltar o poder de reação que a equipe teve no clássico. Você sair perdendo de 2 a 0, buscar o empate no jogo… o resultado foi resolvido em detalhes. Acho que a equipe teve uma boa atuação e é aprender com os erros. Quando você perde tem essa lição dos erros e é procurar, nos outros jogos, corrigir e ter bons resultados – ponderou.

Carlão ainda aprimora parte física para ser relacionado — Foto: Jorge Luiz/Paysandu

Micael e Perema fazem a dupla de zaga titular desde o ano passando, enquanto que Wesley Matos, até então única opção no banco, é o vice-artilheiro do Papão, com seis gols em 13 partidas. Ou seja, mesmo com currículo vitorioso e de experiência internacional, a disputa por posição será grande para Carlão.

– É normal [a disputa] quando você chega em um clube no decorrer do campeonato e que já tem uma base formada. Nos treinamentos vejo que a parte defensiva é uma parte bem sólida da equipe. Estou vindo para agregar. Vai ser uma briga sadia, acima de tudo com respeito. Quem só tem a ganhar com isso é o Paysandu, que com certeza vai estar bem servido nessa posição – salientou o jogador.

Com longo histórico no futebol europeu – passou por clubes da França, Itália e Chipre entre 2008 e 2019 – o zagueiro retornou ao Brasil no início do ano para disputar o Paulistão pela Ferroviária. Agora no Papão, jogará pela primeira vez a terceira divisão do país. Carlão espera uma rápida adaptação.

– É a primeira vez disputando uma Série C. A partir do momento que começou essa conversa com o Paysandu eu acompanhei alguns jogos. É um campeonato mais disputado, de mais força, mais físico. O meu futebol é de força também, mas tenho meu lado técnico e vou procurar jogar omo sempre joguei – avaliou.

A próxima oportunidade de Carlão ser relacionado será contra o Santa Cruz. A partida será domingo que vem, no Recife. O Coral pernambucano é o líder do grupo, com 18 pontos.

Fonte: G1;
Foto: Reprodução/TV Papão